Inauguração do Busto do Dr. Francisco Neto Cabrita

15 de Março de 2016

Integrado nas comemorações do dia 8 de março, foi inaugurado o Busto do Dr. Francisco Neto Cabrita.

Natural de S. Bartolomeu de Messines, nasceu a 20 de dezembro de 1899, no seio de uma família de abastados proprietários. Frequentou o Liceu de Faro e matriculou-se de seguida na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, concluindo o curso em 1926. Fixou-se na sua terra natal, onde iniciou a profissão, apesar de ter sido convidado a ocupar o cargo de subdelegado de saúde de Castro Verde, renunciando por não querer sair de Messines. A sua ação em prol da saúde da população messinense foi notável, durante os 22 anos em que exerceu a sua profissão, pautada permanentemente pelo seu altruísmo e filantropia. Promoveu campanhas de vacinação, especializou-se no combate à tuberculose e percorreu os quatro cantos da freguesia no socorro aos doentes, sempre com a preocupação de auxiliar os mais necessitados. Além de não cobrar honorários deixava dinheiro aos mais pobres de forma a atenuar o sofrimento daqueles.

Foi paralelamente, um defensor das aspirações locais, pugnando acerrimamente pelo desenvolvimento da sua terra. Foi o principal responsável pela criação e primeiro presidente da Casa do Povo (em 1934), ocupando também os cargos de presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Silves (entre janeiro e maio de 1935) e da Junta de Turismo da Praia de Armação de Pêra (década de 1940). Grande impulsionador em termos turísticos daquela praia, pugnou entre outros aspectos, pela construção da Av. Marginal.

Adepto dos ideais do Estado Novo, pertenceu à Legião Portuguesa e aderiu ao Nacional-sindicalismo, vindo-se afastar do regime, na senda do seu grande amigo major David Neto.

Faleceu na sua terra natal, vitima de carcinoma na laringe, a 30 de dezembro de 1948,  constituindo o seu funeral a maior manifestação de pesar ocorrida, até então na aldeia. Nele se congregaram, lado a lado, situacionista  e oposicionistas ao Estado Novo e milhares de cidadãos anónimos. Com o seu carácter íntegro e afável, conquistou a simpatia popular e a consideração geral, sendo-lhe atribuído para a posteridade o epiteto de "pai dos pobres".

Volvidos 67 anos do seu desaparecimento, por ação de um outro messinense ilustre o Dr. António Neto Guerreiro, S. B. Messines presta mais uma vez homenagem ao insigne médico e notável messinense, sendo este um dos seus últimos atos de benemerência, a oferta à "comunidade messinense" do monumento ao Dr. Francisco Neto Cabrita, que promoveu através da Junta de Freguesia. Tal homenagem ao clínico messinense constituiu a concretização de um sonho que acalentava há vários anos, por aquele lhe ter salvo a vida em criança, com "a sua ciência médica". António Neto Guerreiro considerava-o um "grande benfeitor da comunidade", que merecia se perpetuado no bronze, de modo a ser recordado e servir de exemplo às atuais gerações.